INCLUDES_HEADER
Busca:
BANNER_TOP_960

Etiqueta Arquivos: custo dos empréstimos

Golpes online mediante smartphones


A Sprint divulgou um alerta, esta semana, sobre o crescimento de golpes online que usam SMS e links de internet móvel para furtar dados de usuários.

O golpe explora a ingenuidade dos usuários ao disparar mensagens de texto para números aleatórios solicitando informações bancárias. De acordo com a Sprint, a vítima recebe um SMS informando que seu cadastro ou senha em serviços de bancos móveis (acessíveis pelo celular) expirou.

Mais

Questionada a lei que proíbe empréstimo consignado


O Banco BMG S/A entrou com pedido de Mandado de Segurança no Supremo Tribunal Federal contra decisão que manteve decreto que o impede de conceder empréstimos consignados a servidores públicos do Espírito Santo. A instituição alega que a decisão fere o direito de isonomia, livre concorrência e iniciativa.

De acordo com o BMG, o Decreto 2.415, editado pelo governo capixaba, proíbe os bancos de operarem o crédito consignado junto aos servidores estaduais, mas permitiu que o Banco Banestes, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal ofereçam o serviço.

Mais

BNDES reduz empréstimos e fomenta títulos


O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, disse nesta terça-feira (5) que a instituição deve reduzir o volume de empréstimos concedidos neste ano. Com essa redução, o BNDES visa a colaborar para o desenvolvimento de formas privadas de financiamento de investimento de longo prazo no país.

Segundo Coutinho, o BNDES espera deixar de emprestar até R$ 30 bilhões em 2011, confiando que bancos e o mercado de capitais suprirão essa redução. No ano passado, o banco concedeu R$ 170 bilhões em empréstimos. Em 2011, segundo Coutinho, devem ser aproximadamente R$ 145 bilhões.

Mais

A pesar das complicadas condições do mercado consumidores financiam R$ 69 bilhões nas suas compras


Apesar dos esforços do Banco Central (BC) para pôr um freio no consumo, o brasileiro não se intimidou frente à piora das condições de crédito. Mesmo com os juros nas operações para pessoas físicas tendo alcançado 43,8% ao ano, o maior nível desde agosto de 2009, em fevereiro as famílias pegaram R$ 69,7 bilhões emprestados para saciar seus anseios por mercadorias e serviços, um volume 3,7% superior ao de janeiro.

Nem o aperto na taxa básica (Selic), que subiu de 10,75% ao ano para 11,75% em 2011, nem as medidas prudenciais anunciadas em dezembro do ano passado conseguiram reduzir o ímpeto por financiamentos. A despeito da vontade do presidente do BC, Alexandre Tombini, o crédito total se expandiu 21% em 12 meses.

Mais

Custo dos empréstimos baixa em fevereiro


Boa parte dos empréstimos ficou mais barata no mês passado. E as reduções ocorreram mesmo após o BC (Banco Central) tomar medidas para conter o crédito no País, com objetivo de segurar a inflação.

Levantamento da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade), divulgado ontem, apontou que a taxa média de juros nas operações de crédito, para as famílias, teve recuo de 0,12 ponto percentual, o que resultou em custo médio mensal de 6,73%. Em janeiro, a entidade apontou que os empréstimos para as famílias tinham taxa média de juros de 6,85%. O resultado surpreendeu, segundo o coordenador das pesquisas de juros da Anefac, Miguel Ribeiro de Oliveira.

Mais

No Nordeste mais do 50% da população não tem conta bancaria


O Nordeste é a região com menor número de pessoas com contas bancárias do país. O dado foi revelado pelo Sistema de Indicadores de Percepção Social (Sips) do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), divulgado ontem.

O levantamento ouviu 2.770 pessoas nas cinco regiões brasileiras e apontou que 39,5% dos brasileiros não possuem conta bancária. O percentual cresce bastante nas regiões Nordeste e Norte, onde 52,6% e 50% das pessoas, respectivamente, estão fora do sistema bancário.

Mais

BPP: contra-garantias passaram de valer 450 a 600 milhões de Euros


As contra-garantias dadas pelo BPP para o empréstimo estatal de 450 milhões de euros valem, agora, quase 600 milhões de euros, disse esta terça-feira o ministro das Finanças, na comissão de Orçamento e Finanças, que decorreu no Parlamento.

No entanto, admitiu Fernando Teixeira dos Santos em resposta às questões do deputado bloquista José Gusmão, estes activos já sofreram uma desvalorização desde a altura da concessão do empréstimo.

Mais

ANALYTICS_CODE